Portal Pepper

Celebridades

 

Coronavírus: Crise e pânico devem atingir a economia, alertam personalidades

“Acho que os governos deveriam gastar sem medo, a vida é mais importante”, ressalta Bóris Casoy
Por: Paulo Sanseverino |  Foto: Artur Igrecias / Miro / Divulgação / Reprodução |  Data: 26 de Março 2020
Coronavírus: Crise e pânico devem atingir a economia, alertam personalidades

Talvez você já tenha lido em alguma rede social que a Disney perdeu sua magia, que Paris, a cidade luz, vive na escuridão e, quem tem boca vai a Roma, na atual situação não podemos ir tão longe, só ficar dentro de casa.

Passamos por uma pandemia causada pelo novo coronavírus, originado na China. Grandes eventos foram cancelados e mais de 22 mil pessoas morreram em todo mundo.

O presidente norte-americano, Donald Trump, e a chanceler alemã, Angela Merkel, recentemente admitiram que é o maior desafio global após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Já no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro vai na contramão do combate à Covid-19.

Pessoas de todo o mundo estão em quarentena sem poder se tocar, abraçar, beijar e sem o mínimo contato possível para evitar a contaminação. E quem sofre mais com tudo isso? Os idosos e pessoas com doenças crônicas.

"Os governos estão desorientados no mundo inteiro. Como se trata de um fenômeno inédito, fica difícil agir sem experiência anterior, está funcionando mais por tentativa e erro. Acho que os governos deveriam gastar sem medo, mesmo se for para imprimir dinheiro: a vida é mais importante", ressaltou o jornalista Bóris Casoy.

Em pronunciamento nacional realizado nesta última terça-feira (24), Jair Bolsonaro dividiu opiniões com seu discurso.

jair bolsonaro pronunciamento

"Espalharam a sensação de pavor, tendo como carro-chefe o anúncio do grande número de vítimas na Itália. Nossa vida tem que continuar, os empregos devem ser mantidos. Algumas poucas autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transportes, o fechamento de comércio e o confinamento em massa. O que se passa no mundo tem mostrado que o grupo de risco é o das pessoas acima dos 60 anos. Então, por que fechar escolas?".

Milhares de pessoas de todo país demonstraram indignação em panelaços feitos durante o pronunciamento do presidente.

"Lidar com uma crise coletiva não é diferente das crises pessoais, chegou o momento de ter mais atenção e energia voltadas para você. Ficar pensando na crise é como ter a gasolina do carro acabando na estrada e ficar olhando para o marcador na reserva, não ajuda em nada e gera mais desespero. O medo e o pânico provocam um curto circuito no cérebro, levando a um desespero e um pensamento de fuga, morte e caos. Com isso, o corpo gasta muita bateria, muita energia com esses pensamentos e fica frágil, diminuindo a imunidade", esclarece a terapeuta Wanessa Moreira.

"O governo está tomando as medidas corretas, ao menos os estaduais e municipais, penso que regras mais rígidas têm que entrar em vigor urgentemente, tem pessoas que ainda não perceberam ou não querem perceber a situação calamitosa. Vai passar? Lógico que vai, mas tem que suspender a cobrança de água e luz, usar o fundo partidário para o combate, auxilio moradia parlamentar também para os hospitais e medicamentos", comenta o ator Blota Filho.

O mundo vai levar alguns anos para recuperar a economia do impacto causado pelo coronavírus, afirmou a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Angel Gurría, secretário-geral da entidade, disse em entrevista à BBC que o choque econômico já é maior que a crise financeira de 2008 é que um crescimento global ainda este ano de 1,5%, já soa otimista.

"Saúde e economia têm que andar juntas, é um imenso desafio achar um meio termo, se não conseguirmos manter um ritmo de trabalho/produção neste período, não é preciso ser um especialista para saber que enfrentaremos a maior crise financeira que o mundo já viveu desde a Segunda Guerra Mundial. Empresas que agora, após anos de recessão, estavam conseguindo se desenvolver talvez morram", finalizou Claudio Mello, publisher da Top Magazine.

  Artigos Relacionados

Seis dicas para os pequenos negócios que ainda estão atendendo ao público em meio à crise Seis dicas para os pequenos negócios que ainda estão atendendo ao público em meio à crise
Com mais de 2,5 milhões de pequenos negócios, o setor do varejo enfrenta uma das maiores crises da história, em virtude da expansão da Covid-19 no paí...
Tarsila do Amaral: A guardiã do tesouro nacional Tarsila do Amaral: A guardiã do tesouro nacional
A pintora Tarsila do Amaral está mais viva do que nunca, não só pelo fato de marcar a história da arte nacional e internacional, mas também pela repre...
Leandrinha Du Art: “O meu corpo incomoda a sociedade” Leandrinha Du Art: “O meu corpo incomoda a sociedade”
Portadora da Síndrome de Larsen, enfermidade rara que afeta as articulações desde o útero materno, em que muitas crianças morrem logo após o nasciment...
As Galvão: “A palavra respeito não existe no WhatsApp” As Galvão: “A palavra respeito não existe no WhatsApp”
Em tempos de "bundalização", se torna mais fácil alcançar a fama e o tão sonhado sucesso, agora transformar-se em ícones da música popular brasileira ...

Outros Assuntos

Shen Yun resgata cultura chinesa em São Paulo Shen Yun resgata cultura chinesa em São Paulo O grupo de dança Shen Yun desembarca no Unimed Hall, em São ...
Saiba +
Hilton São Paulo Morumbi prepara drinks especiais para o Valentin’s Day Hilton São Paulo Morumbi prepara drinks especiais para o Valentin’s Day Considerado o dia mais romântico do mundo, o Valentine's Day...
Saiba +